O conteúdo deste site não se destina a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento.

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientação.
 

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram
f7afb2e656d376975aeaf25bb615335c03531317

Entenda melhor: Libre x Enlite



''-Bia, você gosta de usar o libre?

- Não uso o libre, uso o Enlite

-Mas não é a mesma coisa??????''

Cenas como esta acontecem diariamente comigo depois do lançamento do Freestyle Libre, o sensor de glicose que evita as picadinhas nos dedos. Muita gente que nunca tinha ouvido falar de um sensor de glicose acha que o Libre foi algo completamente revolucionário e milagroso.

Não exatamente, povo!

Eu uso um sensor de glicose que existe HÁ ANOS. Porém, só usa quem tem Bomba de Insulina. É o sensor Enlite, que é maravilhoso e me ajudou muito a controlar a minha glicose.

Resolvi escrever este post pra poder explicar tim tim por tim tim sobre os dois. Vem ler:

Definição

Enlite: Sensor de glicose que mede a glicose do fluido intersticial a cada 5 minutos por meio de monitorização contínua de glicose.

Libre: Sensor de glicose que mede a glicose do fluido intersticial a cada 1 minuto por meio de monitorização flash

Duração

Enlite: 6 dias

Libre: 14 dias

Preço

Enlite: Cerca de R$2.000,00 por mês (1 caixa com 5 sensores), segundo o fabricante. Libre: Cerca de R$500,00 por mês (2 sensores), segundo o fabricante.

Transmissão de dados

Enlite: Existe um transmissor chamado minilink que não é descartável e tem validade de até 1 ano. Ele é reutilizável a cada troca de sensor e sua bateria deve ser carregada sempre que for retirado do sensor. A transmissão dos dados do minilink para a bomba de insulina é de forma automática. E a bomba de insulina, por sua vez, que já está programada com valores limites de hiper e hipoglicemia, avisa ao usuário toda vez que receber um valor fora da meta e consegue também prever hipo ou hiperglicemias, diminuindo a frequência das mesmas no controle da glicose. Isso acontece por conta do sistema de monitoramento contínuo. A bomba de insulina não faz a correção automática ainda.

Libre: O sensor é descartável e os dados são transmitidos através de um leitor que pode ler o sensor a cada minuto. A transmissão não é automática, depende deste leitor. O usuário precisa passar o leitor perto do sensor para realizar a leitura, que é instantânea. O libre consegue também ler a tendência de glicose, fazendo com que o usuário preveja se terá hipo ou hiperglicemias, diminuindo a frequência das mesmas no controle da glicose.

Cola do adesivo

Enlite: Dentro da caixa do sensor vem uns adesivos transparentes que são indicados para usar como reforço do sensor de glicose, uma vez que o minilink é um pouco pesado e pode ter o risco de puxar o sensor pra fora

marca.

Libre: Costuma colar bem. Em pacientes com a pele muito oleosa, indica-se fitas adesivas para reforçar o adesivo. Você encontra dicas aqui.

Calibração

Enlite: Precisa ser calibrado com ponta do dedo pelo menos 3 vezes ao dia, segundo recomendação do fabricante.

Libre: O libre não precisa de calibração, embora seja indicado checar com a glicemia sanguínea no primeiro dia para saber se as leituras estão batendo. Caso os sintomas não batam com a leitura, é indicado checar na ponta do dedo para conferir se a leitura do sensor está correta.

Precisão

Enlite: Se bem calibrado e aplicado corretamente, a precisão é ótima.

Libre: Se aplicado corretamente, a precisão é ótima.

Diferenças na leitura

Ambos: Por ser utilizado o fluido intersticial como forma de medir a glicose no sangue, pode ser que em momentos de alteração bruscas no valor da glicose, a leitura não seja muito precisa. Isso se explica pelo fato do sangue receber as informações mais rápidas e o liquido intersticial um pouco mais lentamente. É por este motivo que muitas vezes as leituras podem não ser muito precisas.

Entenda mais sobre diferenças entre glicose sanguínea e glicose do fluido intersticial aqui.

Gráfico

Enlite: O gráfico da Bomba de Insulina mostra a variação glicêmica nas últimas 3, 6, 12 e 24 horas (no modelo VEO) que são as linhas verticais e a meta de glicemia estipulada pelo médico junto com o paciente, que são as linhas horizontais.

Libre: O gráfico do Libre mostra a variação glicêmica nas últimas 8 horas que são as linhas verticais e a meta de glicemia estipulada pelo médico junto com o paciente, que são as linhas horizontais.

Momento Merchan: Adesivos para decorar o Libre e o Enlite

Você pode encontrar lindos adesivos como esses aqui embaixo para decorar o seu sensor na minha loja virtual! Corre pra ver todas as opções <3

#bombadeinsulina #diabetes #DM1 #diabetestipo1 #diabetescontrolado

2,325 visualizações

Bia é Relações Públicas, estuda Biomedicina e convive com diabetes tipo 1 desde os 6 anos. Em 2015, criou o Biabética para incentivar pessoas com diabetes a verem a vida doce de forma mais leve e positiva.

Melhor blogue de diabetes tipo 1 2019
Cópia_de_Purple_Tint_Kids'_Fashion_Advic
WhatsApp Image 2020-02-13 at 16.09.08.jp
winsocial_980x120_v02_bia (1).jpg

Quer receber novidades da Biabética?