f7afb2e656d376975aeaf25bb615335c03531317

Gravidez e Diabetes


Conversando com amigas diabéticas, chegamos a conclusão de que um dos maiores medos de mulheres diabéticas, é com relação à gestação.

Que mulher ao receber o diagnóstico ou em algum momento não se perguntou: será que vou poder ter filhos?


Desde que comecei a conviver de fato com “o mundo diabético” percebi que muitas pessoas têm além de preconceito, informações incorretas, mitos que são disseminados na internet fazendo com que muitas pessoas tenham uma visão no mínimo “triste” sobre diabetes e gestação.

Para começarmos a falar sobre diabetes e gestação, alguns pontos devem ser considerados.

Desde a descoberta da insulina, houve melhora significativa nas taxas de mortalidade materna e fetal, possibilitando que cada vez mais mulheres consigam realizar o sonho de serem mães, tendo uma gravidez e bebês saudáveis.

CONCEPÇÃO: O que pode acontecer se uma diabética descompensada engravidar.

Porém, é fato que a gravidez de mulheres diabéticas está associada a risco tanto para o feto quanto para a mãe. Existe aumento da prevalência de anomalias congênitas e abortamentos espontâneos em mulheres que engravidam com MAU CONTROLE GLICÊMICO durante as primeiras sete semanas de gestação. O que pode acontecer é a mulher nem saber que está gravida, por isso é fundamental o planejamento da gravidez e a manutenção de um bom controle ANTES da concepção.

DESENVOLVIMENTO: O que pode acontecer se a hiperglicemia permanecer durante a gestação.

Se a hiperglicemia ocorrer após o segundo trimestre da gestação, durante a fase de crescimento e desenvolvimento da gravidez, o bebê pode apresentar problemas como: macrossomia (bebê grande, pesando mais que 4kg), hipoglicemia, hiperbilirrubinemia (acúmulo de bilirrubina no sangue deixando o bebê amarelo), hipocalcemia (baixa taxa de cálcio no sangue), policitemia (excesso de eritrócitos circulantes na corrente sanguínea) e síndrome de desconforto respiratório.

Esclarecido o que a glicemia descompensada pode causar antes e durante uma gestação, fica claro o que nós, mulheres diabéticas devemos fazer: Todas as mulheres diabéticas que pretendem engravidar devem iniciar o planejamento da gestação com o objetivo de manter glicemias normais na pré-concepção e manter esses níveis durante toda a gestação.

Alterações na glicemia durante a gestação:

No primeiro trimestre ocorre uma grande utilização da glicose materna pelo feto, podendo levar a hipoglicemias e a menor necessidade de insulina.

No terceiro trimestre ocorre um quadro bem diferente, normalmente as mamães tem maior resistência à insulina devido a vários fatores, como por exemplo, a secreção de hormônios antagônicos a insulina pela placenta. Vale ressaltar que isso não ocorre SOMENTE com diabéticas, são alterações normais do período gestacional.

O aumento do peso corporal também contribui para aumentar à resistência a insulina. Por isso é tão importante fazer um acompanhamento nutricional individualizado. Quando falo em acompanhamento nutricional, não falo de dietas restritivas ou para perda de peso. O acompanhamento deve ter como foco a saúde da mãe e bebê e deve ser elaborado de forma individual para que a mãe mantenha o controle glicêmico adequado e não ganhe peso em excesso.

Por que ocorre a macrossomia? (bebês grandes)

A partir da nona semana de gestação, o metabolismo do feto é regulado pela insulina produzida pelo pâncreas do próprio bebê. Quando a glicemia está elevada, entra na circulação fetal estimulando a secreção de insulina e utilização de glicose, podendo levar a macrossomia. Resumindo: excesso de glicose no sangue gera bebês com excesso de peso.

Durante o planejamento da gestação, é importantíssimo averiguar a presença de qualquer tipo de complicações como: retinopatia, nefropatia, neuropatia e doença cardiovascular. Gestantes com algumas dessas complicações precisam ser acompanhadas mais de perto pela equipe médica, devido ao risco de agravamento durante a gestação. Podendo trazer prejuízos a saúde da mãe e do bebê.

Sobre a Hemoglobina Glicada:

Todo diabético que se preze sabe da importância de manter a HbA1c dentro da meta (HbA1c <7%) e na gestação isso se torna ainda mais importante.

Vários estudos mostram que há aumento de abortos espontâneos e anomalias fetais em gestantes com mau controle. Gestantes com HbA1c acima de 8% tem risco de feto com malformação três a seis vezes maior comparado a mulheres com glicadas abaixo de 8%.

Como se planejar para a gestação?

Converse com o seu médico e exponha seu desejo de engravidar, ele vai te orientar com relação aos exames que você deve fazer e traçar novas metas para que você tenha uma gestação segura. O importante é fazer essa visita ao médico com antecedência, não adianta querer fazer tudo as pressas. Quem é diabético sabe que ajustes no tratamento levam tempo até estarem 100%.

Prepare seu corpo: Beba mais água, se alimente melhor! O ideal é ir ao nutricionista especializado para que ele trace com você o plano alimentar levando em consideração a importância do controle glicêmico e se necessário, manutenção, ganho ou perda de peso antes da gestação.

E lembrem-se: ter diabetes não é sentença de infertilidade. Sim, é possível ter uma gestação saudável tanto para mãe quanto para o bebê, desde que você se planeje.

Sobre a autora:


Noelly Dantas

Nutricionista Clínica

Educadora em Diabetes

Diabética tipo 1

#diabetestipo1 #diabetes #diabética

0 visualização

Bia é Relações Públicas, estuda Biomedicina e convive com diabetes tipo 1 desde os 6 anos. Em 2015, criou o Biabética para incentivar pessoas com diabetes a verem a vida doce de forma mais leve e positiva.

Melhor blogue de diabetes tipo 1 2019
WhatsApp Image 2020-02-13 at 16.09.08.jp
winsocial_980x120_v02_bia (1).jpg

Quer receber novidades da Biabética?

O conteúdo deste site não se destina a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento.

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientação.
 

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram