A tecnologia avança: Conheça algumas descobertas para o tratamento do diabetes da última década.



Ano após ano, a tecnologia avança e diversas novas descobertas são feitas, possibilitando a melhoria no tratamento de doenças e condições, e também, é claro, o alcance da cura. Em se tratando do diabetes especificamente, a cura ainda não foi encontrada, mas graças a tecnologia com novos medicamentos, terapias e ferramentas das mais diversas, o tratamento e o controle da condição vêm se tornando cada vez mais preciso e confortável para os pacientes. Veja abaixo algumas das maiores descobertas do tratamento do diabetes na última década e como funcionam!


Sensor de Glicose Implantado por até 90 dias (Monitoramento contínuo de glicose)


O Sistema de Monitoramento Contínuo de Glicose (CGM) Eversense ® é indicado para medir continuamente os níveis de glicose em pessoas com 18 anos ou mais com diabetes por até 90 dias. Destina-se a complementar, e não substituir, o monitoramento da glicose no sangue por punção digital. A inserção e remoção do sensor é realizada por um profissional de saúde. O Eversense CGM System é um dispositivo de prescrição; os pacientes devem conversar com seu médico para saber mais. 


Vale citar, ainda, que alguns sensores de glicemia existentes no mercado podem ser integrados a bomba de insulina e são capazes de realizar cerca de 288 medições diárias, que apontam tendências a hipoglicemia ou hiperglicemia, auxiliando em decisões a serem tomadas para um melhor tratamento e controle, como é o caso do Enlite, com a bomba de Insulina da Medtronic. Temos também o Sistema de Monitoramento Flash, o FreeStyle Libre que foi lançando há menos de 10 anos também e pode ser utilizado junto com o Miao Miao ou BluCon para se tornar um sensor de monitoramento contínuo de glicose.



Canetas inteligentes de insulina

As canetas inteligentes de insulina também ajudam no tratamento do diabetes, sendo uma alternativa para quem não se adaptou a bomba de insulina ou não consegue arcar com os custos do aparelho. Essa tecnologia torna a injeção de insulina mais fácil, conveniente e precisa, entregando uma maior qualidade de vida aos pacientes.


Essas canetas possuem um recurso de memória que registra a hora e a data das injeções de insulina que foram feitas, uma calculadora para descobrir a quantidade de insulina a ser injetada com base em doses anteriores, nível atual de glicose no sangue e ingestão de carboidratos. Além disso, essas canetas inteligentes podem transmitir diversos dados para a nuvem e que podem ser compartilhados virtualmente com profissionais de saúde. Tecnologia é tudo, né?


Pâncreas Artificial

O pâncreas artificial é um dos avanços tecnológicos da última década que mais chamam atenção quando se trata de diabetes e, espera-se que o dispositivo, que imita um pâncreas saudável e funcional, chegue ao mercado até 2022.


Para que você entenda melhor como essa tecnologia pode ajudar no tratamento do diabetes: o pâncreas artificial imita um pâncreas saudável, ou seja, monitora os níveis de glicose no sangue e administra insulina conforme as necessidades. Usando um pâncreas artificial, que é como uma bomba de insulina, o paciente com diabetes não precisará mais se preocupar com medições e cálculos complexos para chegar ao nível de insulina que necessita.


Glucagon administrado através de via nasal

Recentemente, foi aprovado pela FDA o primeiro produto de glucagon administrado por meio de via nasal para pacientes diabéticos que tenham 4 anos ou mais. O hormônio atua aumentando os níveis de glicose no sangue e é importante em caso de hipoglicemia grave.


Em formato de pó nasal, o glucagon representa realmente um avanço no tratamento do diabetes, já que não requer injeções nem processo de mistura em várias etapas, simplificando o processo de administração do hormônio em casos de hipoglicemia grave, em que o paciente pode estar tendo convulsões ou ter perdido a consciência.

Clique para descobrir quais são as indicações e contraindicações para o uso da bomba de in6sulina!

Referências:

https://www.endoweb.net/index.php/pt/publicacoes-em-destaque/508-monitoramento-continuo-da-glicose#:~:text=O%20monitoramento%20cont%C3%ADnuo%20da%20glicose,a%20glicose%20do%20l%C3%ADquido%20intersticial

https://www.diabetesselfmanagement.com/diabetes-resources/tools-tech/top-diabetes-discoveries-developments-past-decade/

https://www.tiabeth.com/index.php/2019/05/22/qual-e-o-qi-da-sua-caneta-as-canetas-de-insulina-inteligentes-ja-estao-disponiveis/

https://saude.abril.com.br/blog/futuro-do-diabete/os-tres-acontecimentos-do-ano-no-mundo-do-diabetes/

https://www.anad.org.br/fda-aprova-o-primeiro-glucagon-nasal-para-hipoglicemia-grave-em-diabetes/#:~:text=Produtos%20com%20Selo-,FDA%20Aprova%20o%20Primeiro%20Glucagon%20Nasal%20para%20Hipoglicemia%20Grave%20em,ou%20mais%20que%20t%C3%AAm%20diabetes.

https://setorsaude.com.br/aprovado-primeiro-medicamento-de-uso-nasal-para-diabetes-grave/

55 visualizações

Bia é empresária, formada em Relações Públicas, estuda Biomedicina e convive com diabetes tipo 1 desde os 6 anos. Em 2015, criou o Biabética para incentivar pessoas com diabetes a verem a vida doce de forma mais leve e positiva.

Melhor blogue de diabetes tipo 1 2019

O conteúdo deste site não se destina a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento.

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientação.
 

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram