Coronavírus e Diabetes: Por que estamos no grupo de risco?

Atualizado: Mar 14




Idosos e pessoas com doenças crônicas fazem parte do grupo de risco e precisam de mais atenção. Saiba o porquê e como se proteger!


ATUALIZAÇÃO SÁBADO, 14 de março de 2020, 12h19 Desde o começo deste ano uma nova doença vem aparecendo nos noticiários e preocupando o mundo inteiro. Estamos falando de uma infecção provocada por um coronavírus e, com certeza, ultimamente você já deve ter ouvido falar nesse nome várias vezes, né?


Ao que tudo indica, o vírus foi transmitido ao humano através da ingestão de animais silvestres na região de Wuhan, na China. Para se ter uma noção melhor, o vírus já infectou mais de 130 mil pessoas em todo o mundo (dados de 13 de março de 2020). Sim, a situação é grave e já foi declarado como Pandemia pela Organização Mundial de Saúde. Mas, afinal, o que a diabetes tem haver com o coronavírus? Vamos entender!


Por que fazemos parte do grupo de risco?


''Em geral, quando infectadas com um vírus, as pessoas com diabetes têm maior probabilidade de apresentar sintomas e complicações graves. O problema que as pessoas com diabetes enfrentam é por conta das complicações que podem ocorrer e não porque possuem maiores chances de contrair o vírus. Na China, onde a maioria dos casos ocorreu até agora, as pessoas com diabetes apresentaram taxas muito mais altas de complicações graves e morte do que as pessoas sem diabetes'' Fonte: ADA


Em relação a quem tem diabetes, o primeiro fato que precisamos saber é que excesso de glicose no sangue e processo inflamatório ativo afetam o funcionamento do sistema imunológico. Além disso, alguns medicamentos podem afetar prejudicar à resistência à insulina, causando hiperglicemias constantes caso não faça um ajuste da dose. É preciso prestar muita atenção a qualquer detalhe e ficar em contato com o médico de forma constante


Agora, para pessoas com idade avançada a preocupação é por conta do ''enfraquecimento do sistema imunológico e pelo aumento da inflamação que pode promover a replicação viral e respostas mais prolongadas à inflamação, causando danos permanentes aos órgãos''. Fonte: Exame


Sintomas


Como principais sintomas do coronavírus podemos citar: pneumonia, febre, tosse e dificuldades respiratórias. Os sintomas são bem parecidos com a gripe e também com os do vírus SARS, a diferença maior é ausência de congestão nasal, de dor de garganta e espirros.


Como se proteger?


A melhor maneira de se proteger é aumentando a sua imunidade. Para isso, o controle da sua diabetes é essencial, além disso, não se esqueça de adotar bons hábitos de saúde, dormir adequadamente, tentar se expor ao sol no período da manhã, para conseguir produzir vitamina D, consumir alimentos saudáveis, evitar fastfood e alimentos industrializados, não tomar remédio sem conhecimento médico, beber cerca de 2L de água diariamente e fazer exercícios físicos com regularidade.


Existem, também, algumas atitudes que podem ser tomadas para evitar não só o coronavírus, mas outras doenças. Compartilhe essas dicas abaixo com seus familiares, colegas de trabalho e amigos, para que todos fiquem mais protegidos!

- Evite contato próximo com pessoas doentes e que tenham infecção respiratória aguda;

- Lave as mãos freqüentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos;

- Use anti-séptico para as mãos à base de álcool em gel após contato direto com pessoas doentes e antes de se alimentar;

- Use lenços descartáveis para higiene nasal e não lencinhos de pano;

- Cubra o nariz e boca sempre que for espirrar ou tossir com um lenço de papel e, depois, descarte no lixo;

- Evite tocar em olhos, nariz e boca com as mãos não higienizadas;

- Mantenha os ambientes muito bem ventilados;

- Não compartilhe objetos de uso pessoal;

- Limpe e desinfete objetos e superfícies que toca com freqüência.


Algumas empresas estão adotando o home office como forma de prevenção. Pense nisso!


Fontes:

Bem Estar Unimed

Estadão

Abril

18,198 visualizações

Bia é empresária, formada em Relações Públicas, estuda Biomedicina e convive com diabetes tipo 1 desde os 6 anos. Em 2015, criou o Biabética para incentivar pessoas com diabetes a verem a vida doce de forma mais leve e positiva.

Melhor blogue de diabetes tipo 1 2019

O conteúdo deste site não se destina a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento.

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientação.
 

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram