Fique de Olho Final.png
Noelly 1.png

Diabetes Burnout: o que é isso?

Atualizado: Set 14



Saiba o que é, as causas, como cuidar e como evitar essa síndrome que atinge 44% das pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2


O diabetes requer um tratamento constante ao longo da vida, e, como é necessário que, todos os dias, sejam tomadas algumas decisões em relação a condição, é bem comum que algumas pessoas passem por uma experiência de severos cansaço físico e emocional. Esse estado de exaustão chama-se síndrome de Burnout, vamos saber um pouco mais a respeito?

Entendendo a síndrome de Diabetes Burnout e suas causas

A síndrome de Burnout, ou simplesmente Burnout, pode acontecer em momentos particulares da vida, como a perda de alguém querido, problemas familiares, financeiros, entre outros. Nesses momentos, a pessoa se sente desanimada e desmotivada, e começa a ignorar certos (ou todos) os cuidados com a saúde física e mental.


A síndrome também é comum em quem tem uma doença crônica. Quem tem diabetes pode experienciar o Burnout, já que o cuidado constante com a glicemia acaba deixando a pessoa em um estado de cansaço mental e físico, ou seja, se sentindo esgotada.

Culpa, angústia, depressão, estresse, ansiedade, raiva, isolamento, irritação, ressentimento, frustração e vergonha são alguns dos sentimentos ou situações que podem acompanhar o Burnout.

Quem são as pessoas mais afetadas pelo Burnout?

É importante saber que a síndrome de Burnout pode afetar qualquer pessoa e a qualquer momento, mas as mais propensas são as que receberam o diagnóstico de uma doença crônica há muitos anos e que, por este motivo, já vêm tratando a condição de forma contínua há bastante tempo.

Para se ter uma idéia melhor de como o estresse é muito comum em pessoas com diabetes: 1 em cada 5 pessoas com diabetes tipo 2 apresentam altos níveis de estresse, já em pessoas com diabetes tipo 1, o número é de uma pessoa a cada 4 com níveis preocupantes de estresse. Vale dizer, ainda, que segundo estudos internacionais é estimado que o Burnout afete 44% das pessoas com diabetes tipo 1 ou 2 e, por isso, é tão importante ficar atento aos sinais e cuidar quando começar a percebê-los.

Cuidando do Burnout

Se você percebeu ou desconfiou que está enfrentando a síndrome de Burnout, não deixe de procurar ajuda profissional, seja com psicólogo, grupos de apoio ou associações de apoio ao portador de diabetes. É muito, muito importante cuidar dessa síndrome e identificar quais foram os gatilhos dela.

Além da ajuda profissional, você também pode, através de algumas atitudes, ajudar no tratamento da síndrome, sabia? Veja abaixo algumas atitudes que podem te ajudar nesse momento de estresse!

- Seja gentil consigo mesmo e abandone expectativas extremamente altas; - Fale sobre como você se sente. Para isso, procure pessoas queridas ou apoio profissional! Falar pode ser uma ótima maneira de se aliviar; - Crie um tempo para você e para fazer o que te dá prazer, seja fazer um exercício, assistir um filme, ler, entre outros.


Todos nós, seres humanos, estamos propensos a viver momentos de estresse e encontrar válvulas de escape ajuda muito a conviver melhor com a rotina, que pode ser muito estressante;

Evitando o Burnout

Existem formas de evitar o Burnout e a primeira delas, sem dúvidas, é se perdoar, entender que é normal não conseguir atingir todas as vezes o alvo da sua glicemia.


Outra boa maneira de evitar a síndrome é visitar de forma regular o médico, pois ele pode te alertar sobre possíveis erros que você possa estar cometendo, ajudar a criar uma rotina e também avaliar as suas evoluções.

Por último, se aceite, ninguém é perfeito e a vida é feita de altos e baixos para qualquer um. Permita-se se sentir frustrado, irritado ou chateado quando precisar, isso é natural. O importante é prestar atenção se isso não está sendo muito comum.

Tecnologia e o Estresse

O uso de ferramentas para diabetes, como sensores de glicemia ajudam e muito no tratamento do diabetes, mas, às vezes, é possível que desencadeie algumas situações estressantes, como, por exemplo, quando por algum motivo, a glicemia está um pouco resistente a baixar e o gráfico fica te lembrando o tempo inteiro que o seu controle está ruim naquele dia.


O importante é saber que nenhuma glicemia é perfeita e que não vão ser algumas horas ruins no dia que irão te trazer complicações. Seja mais leve consigo mesmo! Você já teve ou conhece alguém que teve essa experiência de Burnout? Compartilhe este post nas suas redes sociais contando a sua história!

420 visualizações

Bia é empresária, formada em Relações Públicas, estuda Biomedicina e convive com diabetes tipo 1 desde os 6 anos. Em 2015, criou o Biabética para incentivar pessoas com diabetes a verem a vida doce de forma mais leve e positiva.

O conteúdo deste site não se destina a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento.

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientação.
 

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram