Existe Diabetes Emocional? Entenda do que se trata!



Os estudos e as pesquisas sobre saúde mental estão cada vez mais avançados e, atualmente, já se sabe que diversas doenças são associadas ao estado psicológico do paciente. Em relação ao diabetes não é diferente, você já ouviu falar do termo “Diabetes Emocional”? Será que realmente existe? Vamos descobrir se essa informação é verdadeira!

Afinal, o que é “Diabetes Emocional”?


Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes não existe “Diabetes Emocional”, o que existe, de fato, é o diabetes tipo 1 e 2, o diabetes gestacional e outros tipos específicos que podem acontecer devido a doenças genéticas, hormonais e pancreáticas, por exemplo. Entretanto, é possível que situações de estresse e ansiedade sejam um gatilho para o desenvolvimento da condição em indivíduos que já possuem pré-disposição. E aí que entra o termo Diabetes Emocional.


Para que você entenda melhor: Não existe um tipo de diabetes chamado “Diabetes Emocional”, porém, as emoções que sentimos, sejam negativas ou positivas, podem desequilibrar os níveis de açúcar no sangue, podendo ser um “empurrão” para o desencadeamento da diabetes em indivíduos com predisposição.


Como o estresse pode alterar a glicemia

O organismo compreende o estresse como um alerta de perigo e desta forma, a primeira coisa que ele faz é se preparar para fugir. Porém, situações de estresse são muito comuns e nem sempre realmente apresentam uma situação de perigo. Como o organismo não entende isso, ele libera alguns hormônios com o objetivo de distribuir energia (glicose nas células) para ser usado como combustível se for necessário. O que acontece em pessoas com pré disposição a diabetes é que essa energia produzida especialmente para o enfrentamento do estresse não consegue ir até as células, já que não existe insulina suficiente. Dessa forma, a glicose permanece circulando no sangue e, então, a glicemia aumenta.


Vale citar, ainda, que o cortisol, conhecido como o “hormônio do estresse” tem influência direta no estoque dos triglicérides que, em grande quantidade, podem alterar os receptores de insulina no organismo e até mesmo desativar suas funções.


Pode ser necessário acompanhamento de psicólogos ou terapeutas?

O diagnóstico do diabetes, seja qual for o motivo do seu desencadeamento, é um período em que o apoio de profissionais que cuidam da parte psíquica, como terapeutas e psicólogos, pode ser bastante importante. Sobretudo se o diabetes foi desencadeado, em pessoas com pré-disposição, por estados emocionais, esse apoio se faz ainda mais necessário, para ajudar os pacientes a reagir da melhor maneira possível com eventuais problemas que podem vir a ocorrer.


Diabetes e estresse não combinam: 5 dicas para lidar melhor com o seu estresse

A forma como se encara as situações do dia a dia é fundamental não só para o bom controle da diabetes como também para evitar a mesma. É claro que nem sempre é fácil, já que estamos falando de autoconhecimento, aceitação e motivação, né? Para te ajudar, nós separamos 5 dicas para que você consiga lidar melhor com o seu estresse. Confira abaixo!

  • Pratique exercícios físicos de forma regular. A atividade física tem o “poder” de afetar positivamente a mente e ajuda a aliviar o estresse;

  • A alimentação faz toda a diferença no estresse, sabia? Excesso de cafeína, por exemplo, pode causar aumento da tensão e do nervosismo.

  • Durma bem! A falta de qualidade no sono tem ligação direta com ansiedade e estresse;

  • Evite situações de estresse. Permita-se se poupar de eventos ou pessoas que possam te causar estresse ou, já que você sabe que pode se sentir estressado, que tal tentar se autocontrolar antes disso acontecer?;

  • Tome bastante água! O humor pode ser alterado pela desidratação, sabia? Uma boa dica é levar sua garrafinha de água para onde for, assim fica fácil lembrar de beber água durante o dia.

Clique aqui e descubra 12 alimentos fáceis de serem encontrados que podem te ajudar a aumentar a sua imunidade!

383 visualizações

Bia é empresária, formada em Relações Públicas, estuda Biomedicina e convive com diabetes tipo 1 desde os 6 anos. Em 2015, criou o Biabética para incentivar pessoas com diabetes a verem a vida doce de forma mais leve e positiva.

Melhor blogue de diabetes tipo 1 2019

O conteúdo deste site não se destina a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento.

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientação.
 

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram