google.com, pub-9214716039940352, DIRECT, f08c47fec0942fa0

1/4

Fique de olho! Quais são os 10 sinais e sintomas do diabetes tipo 1?



O diabetes tipo 1, diferentemente do tipo 2, costuma ter sintomas iniciais de fácil reconhecimento, o que pode ser visto de forma positiva, já que permite que a condição seja identificada e o tratamento iniciado antes que ocorram consequências e complicações mais graves, como lesões em órgãos, por exemplo.


Abaixo, nós vamos listar 10 sinais e sintomas do diabetes tipo 1 que precisam da sua atenção, de maneira que fique mais fácil para você saber quando procurar ajuda médica para que o quadro seja investigado 😉


Excesso de urina


A micção frequente, chamada na medicina de poliúria, é um dos primeiros sintomas do diabetes. Isso acontece pois quando existe hiperglicemia, os valores acima de 180 mg/dl, a quantidade de açúcar que chega aos rins é grande e o órgão não é capaz de absorver tudo, permitindo assim a perde de glicose pela urina.


Como não é possível urinar açúcar puro, o rim diluí a glicose para eliminá-la e quanto maior for a glicemia, mais será a perda de glicose na urina e o volume de urina diário também.


Sede em excesso


Como vimos anteriormente, o paciente diabético urina em excesso e, como a perda de água é maior do que o comum, ele acaba ficando desidratado. Por este motivo, a sede excessiva também é um dos sintomas do diabetes tipo 1, já que é a forma do corpo de se defender contra a desidratação.


Cansaço


O cansaço crônico também é um sintoma do diabetes, podendo ocorrer devido a desidratação e também pela incapacidade das células de receberem glicose.


Para explicar melhor: a glicose é a principal fonte de energia das células e quem promove a entrada dela do sangue para dentro das células é a insulina, que no diabetes tipo 1 não é produzida. Com menos glicose recebida então, o organismo produz menos energia e a sensação de cansaço logo aparece.


Perda de peso


A perda de peso é um sintoma no diabetes tipo 1 bastante comum. Isso acontece pois como a insulina é o hormônio responsável pelo armazenamento de gordura e síntese de proteínas, e no paciente com diabetes tipo 1 a insulina é inexistente, o paciente para de armazenar gordura e de produzir músculos. Para completar, como não há glicose, que é fonte de energia, as células acabam tendo que gerá-la a partir dos estoques de gordura do corpo e da quebra de proteínas.


Fome excessiva


O que acontece é que como as células não conseguem obter glicose para gerar energia, elas acabam interpretando que o paciente está em jejum, sendo a alimentação o único modo de obter energia.

Visão embaçada


A visão turva também é um sintoma do diabetes tipo 1, já que o excesso de glicose no sangue pode causar inchaço no cristalino (lente do olho), diminuindo assim a capacidade do olho de focar.


Cicatrização deficiente


O excesso de glicose no sangue acaba causando vários distúrbios no funcionamento do organismo e um deles é a dificuldade de cicatrização, que acontece devido a diminuição da função das células responsáveis pela reparação dos tecidos, a diminuição da proliferação celular e também pela dificuldade de gerar novos vasos sanguíneos.


Infecções


O diabetes provoca distúrbios no sistema imunológico e, por isso, uma condição não controlada pode ocasionar em um maior risco de desenvolver infecções, como pneumonia e candidíase.


Mau hálito


Devido a deficiência de insulina, as células utilizam estoques de gordura do corpo como fonte de energia, sendo que essa quebra das gorduras gera substâncias conhecidas como cetonas. Tais substâncias são eliminadas pela urina e pulmões (através da respiração), sendo possível que o paciente com diabetes tipo 1 desenvolva um hálito ruim, chamado de hálito cetônico.


Cetoacidose diabética


Trata-se de uma complicação do diabetes tipo 1 e que diversas vezes pode ser um sintoma da condição. Como a falta de glicose nas células leva a produção de cetonas, essas substâncias, quando em grande quantidade, podem gerar acidificação do sangue, quadro denominado cetoacidose. É possível que essa produção de cetoácidos seja grave, diminuindo o pH do sangue até mesmo a níveis fatais. Se trata, portanto, de uma emergência médica, onde os níveis de glicose no sangue são maiores que 500 mg/dl.


Como sinais comuns de cetoacidose diabética: vômitos, náuseas, dor abdominal, confusão mental, prostração e dificuldade respiratória.


É verdade mesmo que um vírus pode desencadear diabetes tipo 1 e outras doenças autoimunes? Vem se informar!



Referências:

https://www.mdsaude.com/endocrinologia/sintomas-diabetes/

https://blog.farmadelivery.com.br/sintomas-da-diabetes-que-voce-precisa-ficar-atento.html

https://www.boaconsulta.com/blog/sintomas-da-diabetes-saiba-como-reconhecer-essa-doenca/

https://womenshealthbrasil.com.br/sinais-que-podem-indicar-que-voce-tem-diabetes/






91 visualizações
blog%20biabetica_edited.jpg

O conteúdo deste site não se destina a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento.

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre um médico para orientação.
 

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram